sábado, 8 de setembro de 2012

(2012/681) E lá na sala do trono...


_ Pai, acabei de saber que o senhor finalmente libertou aquele pastor, como é mesmo o nome dele?

_ Yousef Nadarkhani?

_ Isso...  Yousef Nadarkhani. Demorou, não?

_ Ah, sim, deu trabalho - três anos...

_ Demorou a se decidir?

_ Um pouco isso e um pouco o fato de, você sabe, eu ter que quebrar algumas regras...

_ Refere-se a...?

_ Bem, não é fácil fazer essas coisas.

_ Ainda tem problemas com o faraó?

_ Um pouco disso. Eu tenho algum escrúpulo de mexer na vontade das pessoas...

_ Mas, pelo jeito, fez, de novo...

_ Sim, tive que violar a liberdade dos juízes.

_ Mas, se não fazes isso, eles matam o pastor que eu mandei evangelizar o mundo...

_ Pois é: você me arrumou esse problema... Entre deixar matarem o pastor que você mandou evangelizar o mundo e eu violar a liberdade dos juízes muçulmanos, violei...

_ Pra isso és Deus, Pai!

_ Sim, mas isso vai dar muita dor de cabeça para os batistas lá embaixo, e, você sabe, eu tenho uma relação muito especial com eles...

_ Tem, mas não a levas muito a sério...

_ Mas, meu filho, acabei de dizer: se eu não violo a liberdade dos juízes, eles matam o sujeito!

_ Mas, pai, se tu podes violar a vontade deles, para fazer com que eles libertem o pastor que eles mesmos prenderam, por que simplesmente não viola a liberdade de todos e os faz, você mesmo, sem pôr em risco a vida dos cristãos, me aceitarem? Céu para todos, Pai! Estalas o dedo e se escancara a porta...

_ Meu Filho!, mas aí...

_ É, mas aí... Tu me matas, dizes que se não me aceitam, morrem, dizes que eles mesmos devem me aceitar, livremente, tens todo escrúpulo de não os violar na sua liberdade, mas, aqui e ali, quebras tua própria regra, violando a vontade das pessoas...

_ Não me lembres meus pecados, Filho!

_ Não preciso, Pai. Os batistas, lá embaixo, agora mesmo estarão constrangidíssimos de comemorarem a tua libertação do pastor e, ao mesmo tempo, com isso darem alguns pontos para seus arqui-inimigos, os presbiterianos: porque, no fundo, Pai, acabas de dizer que é sempre como tu queres: se se está na prisão, é porque tu deixas, porque tu podes livrar, mas só livra quem tu queres, e, se podes violar um juiz, doze, cem, podes pôr todos no céu, mas não queres, e vais deixar a maioria no inferno... Não é uma situação boa para a luta entre liberdade e eleição, entre liberdade e soberania...


_ Meu Filho!, não é uma boa coisa para a Ética! Eleição e soberania, nessas horas, é piada...

(...)

_ Escuta, Esculápio está lá dentro? Chama-o, que me deu dor de cabeça...




OSVALDO LUIZ RIBEIRO

Um comentário:

Cleinton disse...

Se eu estivesse batista, mandaria te matar!! rsrsrs

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Sobre ombros de gigantes


 

Arquivos de Peroratio

Ocorreu um erro neste gadget